hover animation preload hover animation preload hover animation preload hover animation preload

Não-piadas com designers

  Em comemoração ao Dia Nacional do Design, vou postar um texto muito bacana publicado pelo Rogério Fratin no blog Designice  

Ilustração de Nelson Balaban
  Não-piadas com designers

  O tempo passa e cada vez mais surgem piadas “do mundo dos designers”. Inclusive até como se nós fizéssemos parte desse outro “mundo”. E o mais curioso, são os próprios designers que fazem essas piadas e repassam, via todas as redes sociais, email, papo de boteco, tudo. E sempre rodam em torno dos mesmos assuntos: baixos salários, comportamento geek (como se ser designer fosse algo geek), trabalhar pelas madrugadas a troco de nada, parentes que não sabem o que ele faz e um certo autismo, já que os próprios designers se vêem como pessoas de um mundo próprio. Aí entra outra questão importantíssima: E os profissionais de marketing, jornalismo, fotografia e todos os outros que também lêem todas essas “piadas”, como ficam? Será que todos entendem a ironia? Duvido. E cada vez que aparece um “ganhar pouco mas se divertir” aumentam mais as chances deles pensarem que com qualquer trocado o designer trabalha. Aí oferecem uma merreca anti-ética por um trabalho e o designer, como tá acostumado a aceitar e se orgulhar disso, topa fazer. E fala de novo. E outros ouvem ou lêem. E tudo se repete pra sempre.

  Tem um mês que vi um panfleto que entrou na lista de impressos mais infelizes que já vi, e era de uma das maiores construtoras do Brasil, oferecendo apartamentos a partir de R$ 600.000. É, R$ 600.000 por um ap e não querem gastar R$ 2.000 ou R$ 3.000 pra um freela decente fazer. E aí depois vem gente defendendo a regulamentação da profissão, o ensino do design, cursos e afins, como se isso resolvesse. Até podemos ter problemas macro, mas antes precisamos resolver os problemas micro, de cada profissional.

  Defender e propagar esse tipo de coisa é até contra um procedimento de pesquisa de design, que deveríamos saber de cor. Quando começamos um projeto, não temos que pegar referências, ver quais são os melhores benchmarks? Então… Quem reclama dessas coisas, tem quais “designers como benchmarks”? Sério… Dos que eu tenho, nenhum é desse jeito. Paula Scher, Ellen Lupton, Roger Black, Ian White, John Maeda, Sagmeister, Claudio Rocha, Alexandre Wollner, Claudio Ferlauto, Marcos Mello, Alceu Nunes, Gustavo Piqueira, Hugo Kovadloff. Pergunto de novo: algum deles é esse estereótipo “lunático-geek-autista”? Também respondo: Não.

  E se invés dessas bobagens todas, nós designers que pretendemos dar valor à profissão, mostrássemos quão importante podemos ser num projeto? Que tal mostrar como temos visão apurada e holística, interdisciplinar e requerida nos redesenhos disso ou daquilo? Talvez inclusive podemos provar. É só ler jornais ou revistas. O que não faltam são pesquisas que demonstram o design como profissão da próxima década e os motivos disso. E o design estratégico (design thinking), ninguém vai falar nada a respeito?

  Então aí vou eu, listar não-piadas de designers. Espero que não sejam engraçadas. Ser designer é:

1. Valorizar tanto o novo como o antigo e saber pegar o que tem de mais legal em cada na hora certa e pra cada aplicação
2. Dar soluções para problemas ambientais com projetos de sustentabilidade
3. Melhorar a ergonomia e quebrar paradigmas que podem ajudar as pessoas a terem menos contusões no trabalho
4. Transformar um supertexto em um “supertexto que dê supervontade de ler”
5. Dar valor aos produtos, sejam eles quais forem, com bom gosto e visual impecável
6. Poder fazer projetos pessoais e sociais que envolvem comunicação e educação
7. Estar um passo a frente por trabalhar com diversas áreas interligadas
8. Ter o cinema, teatro, exposições de arte, literatura e muitas outras “formas de diversão” como referência para trabalhar melhor
9. Usar o design estratégico para guiar um projeto, unindo intuição e algoritmos, alcançando resultados diferentes dos convencionais
10. Tornar tudo mais bonito, usável e agradável, dentro das especificações necessárias para cada um desses projetos
11. Fazer com que um livro seja mais agradável de segurar, carregar e principalmente de ler
12. Criar a identidade pra uma revista que atraia a atenção e desperte vontade nas pessoas em ler e, decerto, ganhar mais conhecimento

Feliz Dia do Design! :D

8 Comentários:

Andressa Serena disse...

Olha, mais uma profissão desvalorizada no mercado! Pois é, Eric! E saca só o que eu tô ralando muito para ser: professora. Eu digo para as pessoas que amo o ambiente escolar, que quero dar aulas, blá-blá-blá e escuto um: "Você é louca?", haha. E o melhor: é só ligar a televisão e ver 2836893263 professores que sofreram algum tipo de assédio por pais, alunos ou funcionários do Estado dentro da própria escola...
Vou te contar: meu pai trabalha há 30 anos em uma empresa, ele ama o que faz... Me colocou na mesma empresa e eu não aguentei 3 anos. Estou desempregada e correndo atrás do que eu realmente quero. Eu acho que é isso que diferencia os jovens de hoje, sabia? Não é só o "querer" mas são as novas "oportunidades", é o "poder" também.
Eu acho que antes de um profissional querer ser reconhecido, ele com certeza tem que se reconhecer e fazer-se reconhecer. Gostei do texto!

Eric Fiori disse...

Oi Andressa!
Então, professora! Olha só, que bacana.. Sempre valorizei bastante.. acho que a melhor parte do conhecimento é transmiti-lo. Imagino que devem existir diversos pontos ruins em dar aulas, mas acho importante você fazer o que gosta..ai os pontos positivos vão sobressair.
Um dia ouvi uma frase: "você deve fazer o que gosta ou gostar do que faz". As vezes não temos condições de escolher o que gostamos, então o jeito é se adaptar e tentar tirar o melhor disso.
Eu tive a sorte de fazer como você, e esperei um bom tempo até aparecer um trabalho que eu gostaria. E deu certo! Daqui pra frente espero colher bons frutos disso..

Valeu pelo comentário! :D

Jorge Scarpin disse...

Olá, sou do blog http://professorscarpin.blogspot.com. Estou concorrendo também ao topblog, na área de Economia.
Adorei o seu blog e já votei. Espero sua visita. Para votar no meu blog, pode ir pelo blog ou então no link http://www.topblog.com.br/2010/index.php?pg=busca&c_b=23111150.
Um grande abraço,


Jorge Eduardo Scarpin

André Pollux disse...

Na Europa, designer é quem faz esses itens que você listou aí. Seria o ideal ser assim por aqui também - creio que (com o esforço de nós todos) estamos caminhando para isso! Ainda bem, né? Porque nascemos da importância de uma reconstrução pós-guerra, e isso não é pouca coisa ;D

Anônimo disse...

Acho que a desvalorização do Designer não tem tanto a ver com piadinhas sobre a area.
Com a internet muita gente q não é profissional em alguma coisa, se sente profissional por ter meio de divulgação, agente vê isso com fotografia, hj em dia td mundo se acha um bom fotografo se tem uma câmera boa e um fotolog.
O photoshop ta cada vez mais facl de usar e td mundo ja acha que sabe criar algo legal porque manja um pouco de photoshop e paint.

O que vai mudar o salário e o valor de um designer não é o fim das piadas, e sim os próprios profissionais que tem um Portfólio legal não se submeter a um salário de 600,00 reais , apresentar um bom trabalho e mostrar o retorno que a empresa teve com aquele investimento ajuda bem mais que ficar falando mal de quem faz piada sobre design.
Eric ,acho que o buraco é bem mais embaixo nesse caso.
E também tem piadas pra todas as areas
pra quem faz direito...
"Se ta fazendo direito já começou fazendo errado"
O que muda alguma coisa é a sua Ação !
Eu sou contra a piadas sobre designers só porque a maioria é sem graça mesmo se fossem mais criativas e engraçadas não me sentiria mal de rir delas porque eu sei que não me encaixo naquela categoria de designer.

jessika Brito

Andressa Serena disse...

Atualize! Essas semanas de provas da FIEO acabam com a vida social (e virtual!) de todo mundo... Hahaha!

Ricardo Rosa disse...

Olá, tudo bem?

Meu nome é Ricardo Rosa, trabalho na Produção online do Avesso, um programa que mostra os bastidores das ações de comunicação de grandes marcas. ( www.avesso.com.br ).

Fiz uma visita ao seu blog e queria dizer que está de parabéns pelo trabalho que está fazendo.

Nós desenvolvemos parcerias com diversos blogs da área de comunicação, moda, design, sustentabilidade, esportes entre outros, e gostaríamos de ter você e o blog como parceiro Avesso.

Acesse o nosso site www.avesso.com.br , e assista aos nossos programas.

Caso tenha interesse, por favor entre em contato.

Um grande abraço.

Obrigado!

Ricardo Rosa
ricardo@avessotv.com.br
Tel. (11) 3578-0777
____________________
www.avesso.com.br
www.meadiciona.com.br/avessotv

Eric Fiori disse...

André, tem razão, com cada um "fazendo sua parte" a situação está mudando mesmo... Mas no final todo mundo ainda acha que é um pouco designer..hahaha..

Jessika, não sei você, mas eu interpretei o texto de outra forma. Piadas sempre vão existir em qualquer lugar, mas a questão é a própria desvalorização e uma imagem errada. Talvez por esse motivo é que, como você disse, a remuneração não é, em alguns casos, tão boa quanto poderia... enfim...

Postar um comentário

Para comentar, não precisa estar logado com a conta Google...
É só ir em "Comentar como:" e selecionar "Nome/URL"!
;D